ROUPAS CUSTOMIZAÇÃO - MARIA RITA DE CASSIA

Consertar e customizar uma roupa vale a pena

Nem é só pela economia que se consegue, mas de hábito de evitar desperdícios

ROUPAS CUSTOMIZAÇÃO - MARIA RITA DE CASSIA

ROUPAS CUSTOMIZAÇÃO – MARIA RITA DE CASSIA

Em tempos de crise e maior variação nas despesas pessoais, muitas passoas procuram soluções para conter os gastos. Buscando economizar, uma das soluções achadas pelos brasileiros foi renovar o guarda roupa de uma maneira sustentável e econômica.
Para o estudante de Design de Produto, Luiz Schmitt, 18 anos, o ato de modificar uma peça de roupa já é um costume — desde fazer e refazer as barras das calças até criar modelos originais. “Eu tinha camisetas que eu não usava por causa ou da gola muito apertada ou das mangas muitos curtas. Eu não queria gastar com uma nova, e seria difícil achar uma camiseta regata do jeito que eu queria. Então eu cortei a gola de algumas, cortei a manga de outras e criei, eu mesmo o modelo perfeito”, afirma o estudante.
Para a estudante de jornalismo Mayara Meier, 18 anos, comprar na loja acaba, às vezes, sendo mais caro do que mandar reformar. “Por exemplo, você tem uma calça em casa mas ela esta meio fora de moda. Gastar com uma nova não fica por menos de R$ 40, mas dar uma rasgadinha não custa nada e renova a peça”, explica. Os jovens também declaram que comprar roupas semi-usadas e mandar ajustar pode sair melhor e mais barato do que comprar o modelo certo.
Customizar — Para a gerente de maternidade Adelaide de Oliveira o interesse que começou por ver roupas muito bonitas nas revistas e não achar para comprar a levou à customização. Buscou aprender a fazer suas próprias roupas. “Agora compro bem poucas roupas, gosto mais de comprar tecidos e outras coisinhas e fazer modelos novos ou pegar o que tenho e transformar”, afirma. Concluindo um curso de costura básica e pensando em um de customização, a gerente pensa que com as técnicas diferentes poderá complementar a renda.
Não muito diferente, Rita de Cássia Freitas mantém o habito antigo até hoje. Em sua opinião, pegar aquela roupa que não está mais na moda ou não serve mais e “reciclar”, vale mais a pena do que comprar uma nova. Nem é questão só de economia, mas de racionalização.

fonte: Bem Paraná